quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Como encarar o silêncio dos homens

O maior desafio para uma mulher é interpretar e apoiar corretamente um homem quando ele não está a fim de conversar. O silêncio é mais facilmente mal interpretado pelas mulheres do que pelos homens.

As mulheres precisam perceber que quando um homem está em silencio, está dizendo: "Ainda não sei o que dizer, mas estou pensando nisso". Em vez disso, o que elas ouvem é: "Não te respondo porque não me importo contigo e vou te ignorar. O que me disseste não é importante e por isso mesmo não respondo".

A mulher interpreta mal o silêncio de um homem. Dependendo de como esta se sentindo naquele dia, ela pode começar a imaginar o pior. Quando um homem está em silêncio fica fácil para uma mulher imaginar o pior porque os únicos momentos em que uma mulher ficaria em silêncio seriam quando ela acabasse de dizer alguma coisa muito lesiva ou quando ela não quizesse falar com uma pessoa porque já não confiava nela. Não é de admirar que as mulheres se sintam inseguras quando um homem de repente fica calado!

Ao compreender a caverna de um homem, a mulher pode aprender a interpretar corretamente o silêncio dele e responder a isso. As mulheres precisam aprender que quando um homem está aborrecido ou com stress, pára automaticamente de falar e vai para a sua "caverna" para resolver as coisas. Precisam aprender que não é permitido a ninguém entrar nessa caverna. Esta lição é difícil para a mulher. Como se importa com o homem, a mulher quer entrar na caverna e oferecer-lhe ajuda. Mais do que isso, ela admite com frequência e erradamente que se lhe pudesse fazer mais perguntas sobre o seu estado e se fosse uma boa ouvinte, ele seria capaz de se sentir melhor.


Isto ainda aborrece mais os homens. Elas, por instinto, querem apoiá-lo da mesma maneira como gostariam de ser apoiadas. As suas intenções são boas, mas o resultado é contraproducente. Um homem refugia-se na sua caverna ou fica calado por uma série de razões.

1 - Precisa pensar sobre um problema qualquer e quer encontrar uma solução prática;

2 - Não tem resposta para uma pergunta ou para um problema: Nunca lhe foi ensinado a dizer: "Eu não tenho uma resposta". Precisa de ir para a sua caverna e encontrar uma. A maioria dos homens admitem que estão a fazer exatamente aquilo quando se calam;

3 - Ficou aborrecido ou com stress. Nesses momentos ele precisa ficar sozinho para se acalmar e para recuperar de novo o seu controle. Ele não quer dizer ou fazer nada de que se possa arrepender;

4 - Precisa encontrar a si próprio. Esta quarta razão torna-se muito importante quando os homens amam. Às vezes, começam a perder-se e a esquecer-se de si próprios. Podem sentir que intimidade de mais lhes rouba a força. Precisam regular a maneira como se aproximam. Quando se aproximam demais, de modo a perder-se, as campainhas começam a tocar e eles põem-se a caminho da caverna. Como resultado, ficam rejuvenescidos e encontram de novo o seu eu amoroso.

Um homem quer que a mulher que ama tenha confiança nele para resolver o que o está a incomodar-lhe. A confiança dela em saber que ele pode resolver o seu problema é muito importante para a sua auto-estima. É difícil para ela não se preocupar com ele. Para uma mulher, sentir-se feliz quando a pessoa que ama está aborrecida não parece correto. Decerto, ele não quer que ela se sinta feliz "porque" ele está aborrecido, mas realmente ele quer que ela se sinta feliz. Além disso, quer que ela se sinta feliz porque isso o ajuda a sentir-se amado por ela.
Os homens e as mulheres precisam parar de oferecer o método de atenção que eles próprios prefeririam e começar a aprender as diferentes maneiras de pensar, de sentir e de reagir dos seus parceiros.

(Excerto do livro "Os homens são de Marte e as mulheres de Vénus" de John Gray)

E como eles se sentem diante da nossa pressão?

Lemmy de Souza, 36 anos, fotógrafo, considera-se um praticante do “cavernismo” e acha isso muito saudável. “Eu gosto de estar com a minha namorada, mas às vezes saio do circuito. Existem coisas que são difíceis para eu lidar, então acho melhor me afastar. Quando é sério, ou enfio a cabeça na areia, igual um avestruz ou vou para a batalha, e aí gosto de estar sozinho, porque explodo mesmo e não é bonito. Para minha namorada eu prefiro dar o meu melhor”, conta.

Fred Wagner, publicitário, colunista e conselheiro sentimental concorda: “Os homens precisam de seus momentos de reclusão longe das reclamações e daqueles papinhos do dia a dia, sem falar na famosa D.R. (discutir a relação). Nós precisamos de espaço na frente da televisão assistindo a um jogo de futebol sozinhos ou até mesmo a um programa de variedades só para ver as bailarinas dançando. Deus me livre me perturbarem nessas horas”.

Isso só acontece com as mulheres?

Para a psicanalista Regina Navarro Lins, autora do livro “A Cama na Varanda” (Editora Best Seller), a resposta é não. “O mesmo acontece com os homens em relação às mulheres. Todos ainda somos regidos pelo mito do amor romântico. Esse tipo de amor traz várias expectativas e ideais. Entre elas, está a ideia de fusão, que os amantes só têm olhos um para o outro, ou seja, quem ama tem como único interesse o (a) parceiro (a). Se você percebe que o outro está em silêncio, que tem pensamentos só dele, que não compartilha com você, isso pode ser vivido como desamor”, explica.

Sete dicas para lidar com o “homem caverna”

Para as mulheres, o conselheiro amoroso Fred Wagner revela sete conselhos para não estressar diante do silêncio masculino:

- Não escarafunche o seu parceiro. Isto pode funcionar como uma "profecia autorrealizadora", ou seja, você acaba provocando justamente aquilo que procurava evitar: ele se sente sufocado e se manda.

- Não fale de assuntos estressantes a não ser que seja indagada; nada é tão importante que não possa esperar por uma hora mais oportuna.

- Não o convide para sair porque ele não vai querer estar em nenhum lugar.

- Nunca use a metodologia barata de carência, pois só vai irritá-lo.

- Apelar para a sua sensualidade neste momento não vai ajudar, e sim danificar a sua autoestima.- Deixe a gente em paz (sem dramas!), logo voltamos dos “ergástulos” revigorados e prontos para vocês.

- Viva a sua própria vida e não a do outro. Aproveite para sair com suas amigas, fazer compras e assistir ao novo “Sex and the City”.

Sete dicas para o “homem caverna”

- Avise quando for “entrar na caverna”. A gente avisa quando está na TPM, por que você não pode fazer o mesmo?

- Antes de se isolar não custa reafirmar: “Oi, hoje eu vou ficar na minha, mas eu te amo, ok?” (mesmo que a gente não ouça e não acredite na frase após a vírgula).

- “Cavernation” é legal, mas por mais de dois dias é demais!

- Evite praticar o “cavernation” no banheiro (se a casa só tiver um), principalmente se o estojo de maquiagem e o depilador estiverem lá. Você corre um sério risco de encontrar a réplica do “Elo Perdido” quando sair.

- Se mesmo assim você insistir em se isolar no WC, pelo menos leve uma caixa de fósforos ou um incenso. Não temos esquadrões especializados em guerra química no bairro.

- “Cavernation” no dia do casamento da nossa melhor amiga é golpe baixo, e a revanche pode ser uma hecatombe.- Mulheres modernas também gostam de ficar sozinhas de vez em quando. Não, isso não quer dizer que vamos encontrar o “Ricardão”.

Fonte: www.deltacat.blogs.sapo.pt
www.estilo.uol.com.br

4 comentários:

  1. A única coisa que me irrita neste silêncio, é de ficar em silêncio no momemto inoportuno.

    ResponderExcluir
  2. Cômodo "pacaraleo" essa imersão na caverna...

    ResponderExcluir
  3. Existe "canvernismo" de mais de 1 mês? É normal isso? Hahaha...

    ResponderExcluir
  4. ESTOU PASSANDO POR ISSO, NÃO SABIA QUE EXISTIA ISSO DE CAVERNA. SE EU SOUBESSE TERIA FICADO NA MINHA E NÃO TERIA IMPORTUNADO ELE COM TANTAS PERGUNTAS SEM RESPOSTA. 04 DIAS NA CAVERNA PARA RECEM NAMORADOS, ACHO DEMAIS.

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails